quarta-feira, novembro 24, 2004

O debate entre positivismo e pós-modernismo: Comentário ao artigo

O debate entre positivismo e pós-modernismo: Comentário ao artigo

Reflectindo sobre este texto, torna-se evidente a existência de uma grande distância entre a teoria curricular (que teve grande desenvolvimento, sobretudo nos E.U.A.) e a prática. Penso que as escolas continuam a perspectivar o currículo na linha de Tyler, ignorando a teoria da reconceptualização, mais atenta à realidade pessoal e social e ao desenvolvimento global do aluno, que defendem que o currículo seja construído pelo professor em conjunto com os alunos com que trabalha.
Concordo que será necessário encontrar o equilíbrio entre a Teoria e a prática.
A crítica principal aos pós-modernistas é o facto de não terem nos seus trabalhos, referências às práticas pedagógicas. De facto, não se pode entregar aos professores a responsabilidade total pelo currículo, sem qualquer tipo de orientação, correndo-se o risco de transformar a escola num “folclore pedagógico”.
Parece-me interessante esta expressão e muito adequada ao ensino da música, sobretudo a nível da iniciação, onde pontificam uma série de teorias pedagógicas “pós-modernas”, que fazem, sem dúvida, a felicidade das crianças, que, no entanto, ao fim de uma série de anos, sabem de música pouco mais do que sabiam antes de iniciarem a sua aprendizagem, chegando às aulas de instrumento sem saberem ler uma pauta…
É de facto vital encontrarmos o equilíbrio entre teoria e prática…

Sara Cardoso
24 de Novembro de 2004

Sem comentários: