terça-feira, novembro 01, 2005

Aceitação ...ou não Aceitação

Depois de ler o post da Alexandra...

Quando fazemos uma leitura de aceitação ou não aceitação de culturas ,fazemo-la sempre com um "complexo " muito próprio das sociedades ocidentais, este complexo a meu ver , é o reflexo da nossa atitude face aos descobrimentos que nos levou à imposição da "nossa cultura", e actualmente na maneira de como o mundo ocidental se serve dos países do terceiro mundo.
Mas a anàlise que faço da atitude de qualquer cultura face a outra, é de "braço de ferro", uma tem de ser melhor que a outra, e, tal como nas democracias, ganha a que estiver em maioria.
Quanto a preferencia de viver em bairros (guetos), do conhecimento que tenho ,de como as minorias vivem em qualquer parte do mundo, é que os grupos se juntam de acordo com a sua cultura, costumes e crenças, e cada um constrói o seu "país" em ponto pequeno; um exemplo desta atitude é a maneira de com está organizada a sociedade na Malásia, cada grupo (raça) tem o seu bairro.
Acho que o mais importante numa sociedade Multicultural é o respeito mútuo entre culturas, é dificil mudar mentalidades e hábitos, há, é que saber geri-los, aceitar as diferenças, e trabalhar no sentido de levar as diferentes culturas (etnias) a coabitarem com o grande grupo de forma pacifica, com sentido de partilha e respeito mútuo.
Também li o o artigo a que a Alexandra se refere, do qual em parte partilho da mesma opinião , em relação à atitude dos Holandeses face à tolerância. Questionando se o serão ou não?Mas também questiono a atitude das minorias, que raramente são referenciadas nestes artigos, face à cultura de aconhimento.
Concordo com o modelo multicultural, baseado no respeito, tolerância e liberdade individual, mas também acho que esta atitude deve ser reciproca.Quanto à indiferença em relação ao outro, é um problema actual e que também de põe dentro da mesma cultura.Ainda no mesmo artigo é referenciada uma entrevista a uma Portuguesa da qual transcrevo a sua opinião; "numca fui forçada a diluir a minha cultura, mas acho que, quando vamos morar para outro país, temos de nos ajustar um pouco. Não se pode esperar que o resto do país se ajuste a nós. Conheço pessoas que esperaram isso e não foram felizes."Vivemos uma época complicada, o mundo está "assustado "com o terrorismo e este de certa maneira associado à cultura Mulçumana, gerando-se um clima de desconfiança em relação aos imigrantes, nestas situações os mais vulneraveis a actos de racismo, pois são vistos como os responsáveis da "insegurança das maiorias". Acho que o problema actual é um pouco mais grave do que o problema da aceitação ou tolerância, neste momento põe-se o problema da segurança, e é, em climas de insegurança que se geram atitudes de racismo.

Luisaazevedo



1 comentário:

Margarida disse...

Um pequeno pormenor penso que devo acrescentar: na guerra entre culturas, nem sempre ganha a maioria, mas a que é mais forte economicamente, ou seja, aquela que consegue obter uma posição mais favorável relativamente ao resto do mundo.