segunda-feira, novembro 21, 2005

Cultura Visível e Cultura Invisível – Um Iceberg Cultural




O presente post foi escrito na semana passada e começou por ser um comentário ao postA cultura visível e invisível: uma actuação consciente por parte da escola” escrito pela Sofia (15/11/05), mas apenas hoje me foi possível coloca-lo no blog devido a problemas que tive com a Internet, na sequência da mudança da linha telefónica da PT para um servidor da concorrência, tendo sofrido uma penalização de alguns dias sem acesso à Internet.

Assim, e porque finalmente as coisas voltaram à normalidade (espero eu) aproveito para colocar o comentário (agora em forma de post) no blog, comentário esse que se refere ao visível e invisível nas Culturas e que está relacionado com o que foi abordado na aula anterior.

Ao longo da semana passada (em algum tempo que tive aceso à Internet na ESE se Leiria) aproveitei para dar uma leitura no nosso blog e quando dei por mim estava a ler alguns post’s escritos por colegas nossos do ano lectivo anterior, onde encontrei um que me chamou especial atenção e que julguei ser um excelente exemplo para uma melhor compreensão do visível e invisível de uma Cultura. Refiro-me a um post publicado no dia 14/11/2004 pela Isabel, no qual ela refere:

“Chiavenato (1999) compara a cultura organizacional a um iceberg onde apenas um percentual muito pequeno é visível sobre a superfície das águas, permanecendo a sua maior parte oculta, fora da visão das pessoas, mas que, no entanto, está ali sustentando, direccionando, com uma vitalidade imensa. Desvelar o que está oculto é fundamental para entender o pensamento das organizações, quais os sentimentos, valores crenças que permeiam o seu quotidiano”.

Ora, eu estou convencido que da mesma forma que Chiavenato aplica o exemplo do iceberg ao visível e invisível da cultura organizacional, o mesmo se poderá aplicar perfeitamente ao visível e invisível da cultura dos nossos alunos, tendo isso, evidentemente, implicações para o currículo na medida em que o conhecimento da cultura oculta será vital para entender os comportamentos, atitudes, enfim, tudo o que sustenta a cultura visível dos nossos alunos. Por isso considero que é fundamental desvendar o oculto para podermos, conscientemente, analisar, interpretar e avaliar o visível… permitindo, assim, uma maior justiça e sucesso no processo de ensino/aprendizagem.

Bem, este era o meu comentário. Para minha surpresa (agradável, claro), o exemplo do iceberg (que, repito, julgo ser um excelente exemplo) foi abordado pelo professor Varela na última aula de forma bastante interessante e esclarecedora, permitindo um debate bastante participativo por parte dos grupos, o que possibilitou um aprofundamento e entendimento sério em relação a esta matéria… pelo que este post/comentário não vem trazer nada de novo. No entanto, resolvi partilha-lo convosco porque já estava escrito, sendo mais um contributo para o nosso blog e para quem o lê.

Aproveito para partilhar com todos vós alguns sites que encontrei ao longo da minha pesquisa e que poderão ser interessantes para consultar e, eventualmente, comentar:

Sem comentários: