sábado, dezembro 10, 2005

Identidade do professor.




A propósito de identidade cultural, surgiu-me a ideia da identidade do professor numa PERSPECTIVA SOCIAL.

O professor já definiu a sua identidade?
Um dos exemplos mais extremos de definição da identidade do professor é o da redução dessa identidade a 180 adjectivos, proposta de um professor de uma Escola de Educação dos Estados Unidos:180+ Ways of Being a Teacher compiled by Allan Feldman and Penny Partridge (School of Education, University of Massachusetts Amherst)
-no quadro a cima-



Veja-se ainda o exemplo recente (e frustrado pela extinção do organismo que concebeu o articulado) do INFOP e da sua proposta para um “Perfil Geral de Desempenho do Educador de Infância e do Professor dos Ensinos Básico e Secundário”, de onde colhemos os seguintes exemplos de exigência para a construção do perfil profissional do professor:

Dimensão profissional, social e ética
1 - O professor promove aprendizagens curriculares, fundamentando a sua prática profissional num saber específico resultante da produção e uso de diversos saberes integrados em função das acções concretas da mesma prática, social e eticamente situada. (...)

Dimensão de desenvolvimento do ensino e da aprendizagem
1 - O professor promove aprendizagens no âmbito de um currículo, no quadro de uma relação pedagógica de qualidade, integrando, com critérios de rigor científico e metodológico, conhecimentos das áreas que o fundamentam. (...)

Dimensão de participação na escola e de relação com a comunidade
1 - O professor exerce a sua actividade profissional, de uma forma integrada, no âmbito das diferentes dimensões da escola como instituição educativa e no contexto da comunidade em que esta se insere. (...)

Dimensão de desenvolvimento profissional ao longo da vida
1 - O professor incorpora a sua formação como elemento constitutivo da prática profissional, construindo-a a partir das necessidades e realizações que consciencializa, mediante a análise problematizada da sua prática pedagógica, a reflexão fundamentada sobre a construção da profissão e o recurso à investigação, em cooperação com outros profissionais.

Decreto-Lei n.º 240/2001, de 30 de Agosto


Saberemos ser professores a todo o momento?

a definição da identidade do professor será sempre um problema de ética (a palavra “ética” provém do grego ethos e significa “identidade”)

veja-se;
http://www.fcsh.unl.pt/docentes/cceia/E_identidade_prof.htm

1 comentário:

AnaOliveira disse...

"É facilmente assumível o princípio de que o processo de avaliação tem de salvaguardar os princípios da ética (Adelman, 1980). No entanto, já não se torna tão fácil definir essa exigência (...) porque a ética, entendida como um conjunto de princípios e normas morais que regem as actividades humanas, está carregada de subjectividade. A reflexão moral sobre os bons e os maus comportamentos faz-nos ver claramente que não se pode identificar, de todo, a eficácia das acções realizadas com o cumprimento das leis. (...) Os problemas éticos encontram-se presentes em muitos momentos dos processos de avaliação e na própria concepção de todo o processo."

Guerra, M.A.S. (2003, p. 197). Tornar Visível o Quotidiano – Teoria e Prática de Avaliação Qualitativa das Escolas. Porto: Edições ASA.