domingo, abril 23, 2006

O vazio está cheio...

Sobre "Caixa para Guardar o Vazio"*, uma parceria da Artista Plástica Fernanda Fragateiro com o Serviço Educativo do Teatro Viriato e a coreógrafa Aldara Bizarro.

... a performance termina com uma conversa: sentados em cima do tapete preto, fofinho, é altura de partilhar sensações e fazer perguntas.
Quando fui assistir pela segunda vez a "Caixa para Guardar o Vazio" havia bastantes crianças das quais uma menina perguntou: porque deram esse nome? Em resposta, difícil, os bailarinos tentaram falar sobre o vazio: imagina que tens uma caixa sem nada e lá dentro podes guardar tudo o que quiseres...
Seguiram outras perguntas e, novamente, a questão do vazio, não tinha ficado clara. Mas o que é o vazio? Porquê que esta caixa, cheia de coisas e, simultaneamente, cheia de nada, serve para guardar o vazio? Onde é que ele está?

É aqui que surge uma intervenção maravilhosa da nossa colega Ana Carreira: Olha! Imagina que um dia alguém te oferece uma caixa muito muito bonita para tu poderes guardar o que quiseres lá dentro. Mas essa caixa é tão bonita que acabas por ficar todo o tempo a imaginar tudo o que de tão especial poderias lá pôr.

A menina pareceu compreender e eu fiquei a pensar: O vazio está cheio, cheio de nada e de tudo ao mesmo tempo, como a nossa imaginação, talvez seja um lugar vazio, o lado de lá do espelho do nosso pensamento...

*Está até ao dia 06 de Maio no Teatro Aveirense, passando depois por Santa Maria da Feira, Guarda e Lisboa. Não percam! E levem os pequenotes!







1 comentário:

O Micróbio II disse...

Cheio e bem cheio... vazio...oco... nada...