segunda-feira, março 06, 2006

Educação artística é o mote

Cerca de 750 especialistas nacionais e estrangeiros participam a partir de hoje, no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, na 1.ª Conferência Mundial sobre Educação Artística, organizada pela UNESCO para promover o papel das artes no desenvolvimento humano. Manuela Galhardo, secretária executiva da Comissão Nacional da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura), explicou que um dos objectivos da conferência é "criar directrizes que venham a ser aplicadas no sector da educação dos países-membros". "A educação artística tem sido rotulada como uma área menor, mas deve ser considerada um bem social tal como a saúde", defendeu a responsável, comentando que este tema tem vindo a ganhar importância a nível mundial. A conferência, que decorre durante quatro dias, irá reunir professores, investigadores e peritos ligados ao ensino das práticas artísticas, nomeadamente artes visuais, performativas, dança, música, teatro, escrita criativa e poesia. A conferência, uma organização conjunta dos ministérios da Educação, da Cultura, da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e dos Negócios Estrangeiros, conta, na sessão de hoje, com a presença do secretário-geral da UNESCO, Koichiro Matsuura .
J.N., 06 de Março 2006

2 comentários:

Varela de Freitas disse...

Sendo uma conferência com um conjunto significativo de personalidades, parece-me que não tem tido a repercussão que se podia esperar nos meios de comunicação social. De qualquer modo é bom que tenha existido e que tenha sido entre nós, numa altura em que (uma vez mais) o ensino artístico volta a ser tema de debate. Devemos estra atentos...

Delfim Peixoto disse...

A propósito deste assunto, já fiz uma reflexão no "Som e Silêncio", e penso que aqui também.
Deixem no entanto que questione a aplicação das opções no 3.º Ciclo e Secundário, Ed. Musical, Teatro, Dança, concluindo que não basta estar na Lei essas odertas. Tem de haver por parte dos professores, Directores de Turma, C. Executivos e Ministério da Educação uma forte informaçáo aos alunos e Enc. de Educação. O que acontece é que muitas vezes, mesmo que os alunos escolham estas disciplinas as escolas acabam por não oferecer a opção, tendo, em muitas delas professores habilitados no quadro!
Porque será?