quarta-feira, novembro 30, 2005

Aos meus vizinhos...

Herdámos uma grande casa,
a grande casa do Mundo.
Na qual devemos conviver.

Negros, brancos,
ocidentais e orientais,
hebreus e não hebreus
católicos e protestantes,
muçulmanos e hinduístas.

Uma família que, injustamente, está dividida
por ideias, culturas e interesses.

Dado que já não podemos viver separados,
devemos aprender a conviver em paz.

Todos os habitantes do mundo são vizinhos.

Martin Luther King

3 comentários:

Delfim Peixoto disse...

Verdade, António!
Acho que vou aceitar o teu convite...mas, penso que deveremos, primeiro, convidar os governantes do Mundo inteiro a fazê-lo também! Principalmente os que " entram pela casa dos outros à procura de um relógio que sabem nunca o terem deixado lá"; e aqueles que não " deixam os seus filhos sairem de casa"...
Acho que todos os outros habitantes do Mundo conseguiriam ser bons vizinhos se a " administração do condomínio " fôsse rotativa.

Margarida disse...

Penso que todos devem ter o direito de serem "administradores do condomínio", mas nem sempre esta solução resulta bem. Nem todos sabem administrar bem; nem todos têm os mesmos objectivos comuns. O que interessa é que todos trabalhem em conjunto e para o conjunto. Todos os seres devem ter o direito à voz, mas uma voz que ajude a construir um caminho para um futuro melhor. Quando as pessoas se encontram a "administrar", penso que na maioria das vezes só estão a olhar para o seu saco/escola/país. Enquanto pensarmos que vivemos num país e não num globo terrestre, as mentes são curtas de projecção/de visualização do futuro. Do mesmo modo posso comparar aqueles que ao andar na rua olham para o seus pés à procura de uma sorte, e que não conseguem olhar para a frente, perdendo a oportunidade de construir o seu futuro e consequentemente lamentando-se continuamente da sua sorte.
Podemos não ter as mesmas oportunidades que os "outros", mas temos o dever de olhar para a frente e tentarmos tudo para chegar a algum ponto.

Delfim Peixoto disse...

Margarida, acho que ao dizeres que a alternância é negativa estás a defender que o Poder seja eternamente daqueles que são mais fortes...será(?). Não deves esquecer o que se passa em alguns dos países em que os cidadãos nem têem o direito de aceder à internet, p. ex.º!!!
Desculpa mas acho que não deves ter entendido o "invisível" dos comentários anteriores!